Actoil

Blog Actoil

Voltar

O futuro com a motorização Diesel

08 out

Quem observar atentamente os caminhões, ônibus, pick-ups e vans em trânsito nas cidades brasileiras vai observar algo de diferente do estereótipo anterior: os veículos comerciais fabricados nos últimos anos não fazem qualquer tipo de fumaça preta, o que caracterizava os veículos mais antigos e mal cuidados...

É essa a nova realidade! Podemos esquecer o passado e aproveitar agora dos benefícios deste motor. Na Europa e nos Estados Unidos, os motores de nova tecnologia são agora chamados de Clean-Diesel, justamente para identificar o novo do antigo.

No Brasil, os motores do ciclo Diesel usados em caminhões e ônibus produzidos a partir do ano 2012, assim como as pick-ups e vans, atendem à norma brasileira de emissões de gases de escape para veículos pesados, que é bastante atual e exigente. Como resultado, as emissões de substâncias poluentes foram drasticamente reduzidas. Para que se possa sentir o que isso significa, basta saber que um único caminhão antigo emite a mesma quantidade de poluentes do que 25 caminhões novos! E isto vale também para os ônibus, as pick-ups e as vans.

Para que este resultado fosse alcançado, houve duas contribuições importantes. De um lado, os fabricantes de veículos e peças trouxeram para o Brasil produtos tecnologicamente avançados, já com injeção eletrônica, e, por outro lado, entrou no mercado o diesel S10, um combustível de baixo teor de contaminantes. Esta combinação garante alto desempenho, economia de combustível e conformidade ambiental.

Portanto, se você vir na rua um veículo soltando fumaça preta, pode ter ser certeza: ele é velho e mal cuidado. Para o meio ambiente e para a sociedade, seria melhor se o dono trocasse este veículo por um mais novo, já com injeção eletrônica e com outros componentes da tecnologia Clean-Diesel.

Os carros com motor do ciclo Diesel

Para o uso em carros, a tecnologia Clean-Diesel teve resultados ainda mais impressionantes. Além de atender a todas as mais exigentes normas de emissões de poluentes, como as vigentes na Europa e Estados Unidos, os carros se tornaram símbolo de economia de combustível.

O segredo está no alto desempenho dos novos motores Diesel: carros que antes eram equipados com motores grandes agora têm motores menores, com o mesmo desempenho dos seus antecessores. Um carro médio, que antes tinha um motor de 2 litros, agora pode ser equipado com um motor de 1.6 litros, com a mesma potência semelhante e torque muito maior do que tinha antes.

Mas a vantagem está no consumo! Compare com o consumo do seu carro brasileiro atual: os modelos 2014 de série na Europa, com este novo tipo de motor Diesel, fazem de 25 a 30 quilômetros com um litro de combustível.

Como consequência, com um tanque de 40 litros de combustível eles rodam mais de mil quilômetros! Dá para ir de Curitiba a São Paulo, ida e volta, sem encher o tanque e, ainda, sobra um pouco para rodar durante a semana. Por esse motivo, os carros com motor Diesel são lideres de mercado na maioria dos países da Europa e também na Índia, onde são parte integrante da política de Estado para uso racional dos combustíveis e redução das emissões de gases de efeito estufa.

Nos Estados Unidos, os carros com motor Diesel são uma novidade que tem agradado ao consumidor: os carros mais econômicos à venda naquele mercado são a Diesel, eles são mais baratos e econômicos que os carros híbridos e, por isso, a sua procura cresce acima da média de mercado.

No Brasil

O brasileiro desconhece o carro a Diesel. Ele nunca foi comercializado em grande escala no Brasil, e seu uso é proibido deste a década de 1970, quando o País sofria com a primeira crise do petróleo. Naquela época, o diesel era considerado um combustível de importância social, era quase todo importado, e por isso deveria ser somente utilizado em transporte de cargas e pessoas, ou seja, em caminhões e ônibus.

A perspectiva atual, porém, é bem diferente da de 40 anos atrás. Os planos oficiais de expansão energética, recentemente publicados, mostram que o Brasil se tornará nos próximos anos exportador líquido de petróleo e de diesel refinado de alta qualidade, ao mesmo tempo em que a necessidade de importar gasolina irá mais que dobrar.

Como isso é possível? As novas refinarias brasileiras foram projetadas antes da explosão da venda de carros no País e, por isso, foram feitas para produzir combustível diesel, eliminando totalmente sua importação e com fácil colocação do excedente no mercado internacional. A frota de automóveis flex, com incentivos, cresce mais que o previsto, deveria também consumir mais álcool e não é o que vem acontecendo.

Diante deste contexto, faz todo o sentido a revogação da proibição de uso dos carros a Diesel, por uma simples razão: não podemos abrir mão da motorização mais moderna e eficiente, disponível e prestigiada em todo o mundo, a tecnologia Clean-Diesel. Assim, será restituído ao cidadão brasileiro o seu direito de livre escolha.


Mário Massagardi é coordenador do Comitê de Tecnologia Diesel da SAE BRASIL

 

Fonte: Sae Brasil

Comentários 0