Actoil

Blog Actoil

Voltar

Frio exige cuidados especiais com Diesel

17 jun

Nova composição do combustível pode causar problemas aos equipamentos em regiões com temperaturas mais baixas

Neste ano, os usuários do Diesel no Brasil terão que enfrentar o primeiro inverno com 7% de Biodiesel. E as baixas temperaturas que predominam na região Sul do País nesta época do ano fazem com que os carreteiros adotem cuidados especiais com seus veículos, sobretudo com o desempenho do motor e um possível congelamento do combustível nos tanques, nos dutos ou até mesmo nos filtros.

Além do caminhão, também é preciso pensar em si próprio, com alimentação adequada, roupas mais quentes e reforço nos cobertores para quem dorme na cabine. Para quem está acostumado a trafegar nas regiões de frio intenso do Brasil, ou de países da América do Sul, como Argentina e Chile, as baixas temperaturas não assustam.

Assim como os caminhoneiros, os agricultores também estão acostumados ao clima frio e utilizam diversas soluções caseiras, como acrescentar Querosene no Diesel, para solucionar o problema de congelamento. Porém, estas soluções podem causar danos ao motor e, por isso, a Actioil desenvolveu o A550, que é o tratamento definitivo para o Diesel.

O produto foi desenvolvido, também, para as regiões frias, com a experiência de uma empresa de origem européia - onde o inverno é muito mais rigoroso. Por tudo isso, o A550 pode ser utilizado para manter a qualidade do Diesel e melhorar o desempenho do veículo em regiões de baixa temperatura.

A formulação especial diminui os problemas de ignição do veículo no frio e reduz o entupimento dos filtros nas temperaturas baixas do interior e das serras. Além disso, o tratamento, que é feito no veículo a cada 60 mil km ou 250 horas de funcionamento, no caso de equipamentos.


Como funciona?
Todo Diesel possui moléculas de parafina, que são componentes naturais do petróleo do qual ele é produzido. A parafina é importante para o combustível, devido ao seu alto valor de cetano, que possibilita uma boa qualidade de ignição.


Porém, em regiões de temperatura muito baixa, caso o Diesel esfrie demais, a parafina do Diesel pode começar a cristalizar, entupindo as linhas de combustíveis e filtros do veículo, o que gera perda de potência ou até mesmo a parada total.


Os motores possuem um CFPP (Ponto de Entupimento a Frio), que faz com que o diesel atinja o ponto de cristalização em uma temperatura menor que a de um Diesel comum.


O problema aumentará este ano, já que será o primeiro inverno com 7% de mistura de Biodiesel nas bombas. O Biodiesel, por ter origem oleaginosa, de sebo animal ou óleos vegetais, tende a não reagir muito bem ao frio e, com isto, criar uma película, devido à glicerina, que impede o fluxo de combustível e acaba por prejudicar o desempenho do equipamento ou veiculo e consequentes paradas ou até mesmo problemas de partida.
Com o tratamento A550, o Diesel manterá suas qualidades até menos 15 graus Celsius

Comentários 0